sábado, 27 de outubro de 2007

Joseph Smith e os profetas Mórmons testados pela Bíblia

Eles têm lindas igrejas e templos, missionários dedicados que andam dois a dois vestidos de camisa branca e calça preta, valorizam a família, são muito educados e simpáticos. A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, mais popularmente conhecidos como Mórmons é hoje um dos movimentos religiosos que mais crescem no mundo. Motivados pelos escritos de Joseph Smith seu fundador e profeta, os Mórmons avançam pelo mundo propagando o Livro de Mórmon, os escritos de Smith que para eles, é uma nova Bíblia.
Mas se os profetas e a história Mórmon fossem submetidos ao crisol das Escrituras? Vejamos como Joseph Smith se sai no teste Bíblico:
Em 1805 Vermonth, EUA, nasceu Joseph Smith Jr., em sua juventude na região da Nova Inglaterra, Smith mostrou-se descontente com as igrejas protestantes daqueles dias. Segundo Smith, ele teria sido chamado para ser um profeta moderno constituindo uma igreja que restauraria a verdade.
Em 1823 Smith, teria sido incumbido de traduzir supostas placas metálicas contendo a história de povos Semitas entre 600 a.C e 400 d.C., que teriam vivido na América pré-colombiana e deixando seu relato em placas de ouro enterradas em Palmyra, NY, o que daria origem ao livro de Mórmon. O primeiro teste para ver se Joseph Smith foi um profeta verdadeiro é o de (Deuteronômio 18:20-22), "Porém o profeta que presumir de falar alguma palavra em meu nome, que eu não mandei falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta será morto. Se disseres no teu coração: Como conhecerei a palavra que o Senhor não falou? Sabe que quando esse profeta falar, em nome do Senhor, e a palavra dele se não cumprir nem suceder, como profetizou, esta é palavra que o Senhor não disse; com soberba a falou o tal profeta: não tenhas temor dele". Smith predisse o futuro?
1. Concernente à Nova Jerusalém e seu templo (Apocalipse 21:22). Segundo esta profecia em Doutrina e Convênios 84:1-5, dada em setembro de 1832, a cidade e o templo devem ser erigidos no estado de Missouri nesta (atual) geração.
2. Sião, no Estado de Missouri, "não poderá cair, nem ser removida de seu lugar", Doutrina e Convênios, seção 97:19. José Smith estava na cidade de Kirtland, Estado de Ohio quando fez esta predição e não tinha consciência de que Sião fora removida duas semanas antes da assim chamada revelação.
3. A casa Nauvoo deve pertencer à família Smith para sempre, Doutrina e Convênios 124:56-60. José Smith foi morto em 1844. Os mórmons foram levados de Nauvoo e a casa já não pertence à família Smith. Esta profecia era falsa. José Smith era um falso profeta.
4. Os inimigos de José Smith serão confundidos ao procurar destruí-lo, 2 Nefi 3:14, O Livro de Mórmon. Smith foi morto, a bala, na prisão de Carthage, em Illinois, no dia 27 de junho de 1844.
5. Jesus Cristo devia nascer em "Jerusalém, que é a terra de nossos antepassados", Alma 7:10, O Livro de Mórmon. A Palavra de Deus diz que Jesus nasceria em Belém (Miquéias 5:2), e essa profecia foi cumprida (Mateus 2:1).
6. A vinda do Senhor, History of the Church (História da Igreja), volume 2, página 182. Em 1835 José Smith, profeta e presidente predisse "a vinda do Senhor, que estava próxima...até mesmo cinqüenta e seis anos deviam terminar a cena". (2)
7. Referente aos "habitantes da lua", Journal of Oliver B. Huntington, volume 2, página 166. Esse devoto e dedicado companheiro mórmon de José Smith citou-o descrevendo sua revelação a respeito da lua e seus habitantes: "Os habitantes da lua têm tamanho mais uniforme que os habitantes da Terra, têm cerca de 1,83m de altura. Vestem-se muito à moda dos quacres, e seu estilo é muito geral, com quase um tipo só de moda. Têm vida longa; chegando geralmente a quase mil anos." (3)
8. Uma profecia bastante reveladora é relatada por David Whitmer, uma das Três Testemunhas do Livro de Mórmon. Em seu livro, An Address to All Believers in Christ (Uma Proclamação a todos os crentes em Cristo)--(Richmond, Missouri, 1887), Whitmer disse que José Smith recebeu uma revelação de que os irmãos deviam ir a Toronto, no Canadá, e que venderiam ali os direitos autoraris do Livro de Mórmon. Foram mas não puderam vender o livro, e pediram explicações a José Smith. Smith, sempre esperto, disse-lhes: "Algumas revelações são de Deus; algumas são dos homens, e outras são do diabo.”
Em 1827, Smith teria recebido as supostas placas de ouro de um anjo chamado Moroni o qual seria um filho morto e transformado em anjo do pretenso profeta do Moroni. Smith disse ainda ter tido visões de personagens bíblicos que estão mortos, como Pedro e João. O segundo teste para o profeta é: Quando vos disserem: Consultai os necromantes e os adivinhos, que chilreiam e murmuram, acaso, não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos se consultarão os mortos? À lei e ao testemunho! Se eles não falarem desta maneira, jamais verão a alva. Isa.8:19-20
Então, se sabemos que Pedro e João estão mortos e que as pessoas quando morrem nem se transformam em anjos, nem sabem coisa algum e nem podem voltar a interferir no que acontece debaixo do sol, ou seja, nesta Terra, (ver Ecles.9:4-9) e que eles aguardam como que dormindo a volta de Jesus para ressurreição (I Tes. 4:13-18), podemos concluir que seria impossível Joseph Smith ter visto quem ele alega ter visto, então se não mentiu, o máximo que viu foi Satanás transfigurado em anjo de luz, 2 Cor.11:14.
O livro de Mórmon foi publicado por Smith em 1930 e então a igreja foi organizada e logo começou a crescer, com a idéia de que ele seria um complemento ao conjunto de livros Bíblicos. O terceiro critério profético é que todo profeta deve estar em harmonia com os profetas anteriores e de que não devemos ter outro evangelho ou outro testemunho que vá além do anterior, Gálatas 1:8 “Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema”. Curiosamente o Livro de Mórmon traz o título de “O outro testemunhou” ou “O outro Evangelho de Jesus”, o qual os Mórmons pretendem adicionar ao cânon Bíblico.
Os Santos dos Últimos Dias (Mórmons), cresceram rapidamente em número, mas enfrentaram oposição do povo protestante em geral devido a três pontos básicos; 1) Smith apontava sua igreja como a única verdadeira e as demais como sendo apostasia, 2) Os Mórmons tinham conceitos muito diferentes da Divindade, embora não admitindo, mas beirando o politeísmo e 3) Os primeiros Mórmons praticaram a poligamia (um homem casado com duas ou mais esposas), acredita-se que Smith tenha tido cerca de 27 esposas (outros falam de muito mais). Este último fato em especial era uma aberração em uma sociedade puritana como a América do século XIX.
A rejeição social levou os Mórmons a migrarem cada vez mais ao oeste, de Nova York para Ohio, depois para o Missouri e finalmente para Nauvoo, Illinois. Em Nauvoo os mórmons cresceram e Joseph Smith chegou a tornar-se prefeito. No entanto, opositores do Mormonismo começaram a alertar o povo sobre as práticas Mórmon através de um jornal, que foi fechado e destruído por Joseph Smith. Smith acabou preso como em muitas outras ocasiões. Presos em Illinóis, em 1844, Joseph e seu irmão Hyrum foram linchados pela população que invadiu a cadeia.
Depois disso o grupo religioso dividiu-se no que hoje forma o menor grupo, conhecidos por A Igreja Reorganizada dos Santos dos Últimos Dias fundada pelo filho de Smith, e a o maior grupo conhecido como Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias liderada inicialmente por Brigham Young apoiador e amigo de Smith que rumou para a região do moderno estado de Utah, onde junto com seus adeptos e suas 25 esposas fundaram a cidade de Salt Lake Sit, ele chegou a dizer que negar a poligamia seria negar a fí (Estrela Milenária, v.27, pg.675). Os profetas e apóstolos Mórmons aboliram a poligamia praticada por seus iniciadores, no ano de 1890, para conseguir aprovação de Utah como estado Americano.
O quarto critério para avaliar um profeta; tem a ver com o testemunho e os resultados de vida alcançados pelo profeta, ver Mt.7:17-23. A história de Joseph Smith, e seus primeiros apoiadores como Brigham Young parece não estar consoante com este critério. Suas transgressões de diversos mandamentos de Deus, poligamia, péssimo testemunho público, as diversas vezes que foi preso e antipatia da sociedade (que por certo não tinha o direito de matá-lo), mostram que seus frutos não eram bons. Tanto que não ouve consenso após sua morte entre seus seguidores, que fundaram movimentos diferentes acusando-se mutuamente e, ambos pretendendo a sucessão profética e da liderança de Smith. Embora os Mórmons apontem Smith como um mártir, não é esse bem o caso, pois os mártires morriam por defender a verdade que denunciava seus opressores e Smith morreu por causas que nada tinham a ver com a devesa da verdade Bíblica.
Ainda resta uma última mancha no passado dos profetas Mórmons, que apenas recentemente sofreu alguma mudança, que se refere ao Racismo. Nos escritos de Joseph Smith, o livro de Mórmon em II Néfi 5:21, transparece claramente o conceito de Smith de que a pele negra seria uma maldição de Deus. O sucessor de Smith, Brigham Young disse, “A marca de Caim é um nariz chato e a pele preta” (Diário de Discursos, v.7, pg.291). É um fato óbvio de se notar na história Mórmon, sua relutância em ordenar sacerdotes negros, sendo que apenas em 1978, o presidente Mórmon Spencer Kimball disse ter tido uma nova revelação aceitando os negros, que ainda persistem como uma minoria na liderança. Nem precisamos dizer que a Bíblia e Cristo não fazem acepção de pessoas, At.10:34. O quinto e último critério que vamos usar, é o de harmonia entre profetas e entre a própria Bíblia, 1 Cor. 14:32 “Os espíritos dos profetas estão sujeitos aos próprios profetas”. No entanto, os profetas Mórmons estão em constantes ‘ditos e desditos’ entre si, e com a própria Bíblia, não há unidade, se o autor fosse o Espírito Santo não haveria tanta contradição ou mudanças de revelação. O espaço não nos permite avaliar todas as doutrinas Mórmons a luz da Bíblia, mas as contradições são óbvias.
Já conheci alguns Mórmons e como eu disse lá no início, são pessoas agradáveis e respeitosas. Atualmente, exceto algumas ramificações fundamentalistas nos EUA, eles não praticam a poligamia e tem famílias bem estruturadas que dão grande valor ao casamento. Creio na sinceridade da fé deles e admiro seu zelo missionário, mas no que concerne a suas crenças e profetas, devemos lembrar de 1 João 4:1 “Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora”. E ainda, Mt.7:15, 24:11 e 14. Interessante! Pois a idéia de que existem falsos profetas, já demonstra que existem verdadeiros profetas modernos. Certamente o Dom de profecia é um dos dons do Espírito Santo, mas Joseph Smith e os profetas Mórmons até a atualidade foram certamente reprovados no teste Bíblico.
Referencias:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Mormon
http://www.irr.org
http://pt.mormonwiki.com/O_Anjo_Moroni

Nenhum comentário: