segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Respostas sobre a calamidade em SC


Por que Deus permitiu tamanha catástrofe sobre o povo Catarinense? Por que famílias foram desfeitas? Estaria o povo sendo vítimas de um juízo de Deus ou é esta mais uma demonstração da maldade de Satanás? Seriam os dois ou nenhum, meramente conseqüências naturais?
Estamos acompanhando na TV e jornais a grande calamidade em SC, uma inundação sem precedentes, uma onda de tristeza que nos sensibiliza e nos leva a concluir que já nenhum lugar é plenamente seguro neste planeta em deformação.
Um terremoto teria durado alguns segundos e terminado, um vendaval teria durado alguns minutos e parado, mas as fortes chuvas e a ameaça de desabamentos, a lama e as possíveis doenças provenientes da contaminação da água são uma ameaça constante.
Como muitos, eu acompanhei alguns casos na TV e na internet. Vi casos de crianças traumatizadas pela fuga dramática das águas e lama, também vi o desespero e frustração de famílias que perderam tudo aquilo que lutaram por uma vida inteira. Pergunto-me como será o futuro dessa gente; Emprego? Abalo financeiro local? Para onde irão?
Vi um senhor dar seu depoimento sentado num abrigo, havia perdido a casa e família numa só vez. O que lhe resta? Por que só ele sobreviveu? Qual o propósito nisto? O que Deus tem a dizer a respeito? Perguntaram-me esta semana onde estava Deus nestes momentos, me perguntaram por que Ele permitiu que crianças morressem? Existe uma resposta para isso tudo?
Abraão o amigo de Deus, que o conhecia e viu Deus estender seus juízos sobre as cidades de Sodoma e Gomorra afirmou que um Deus justo e amoroso, não agiria de maneira cruel e insana: “Longe de ti que faças tal coisa, que mates o justo com o ímpio, de modo que o justo seja como o ímpio; esteja isto longe de ti. Não fará justiça o juiz de toda a terra?” Gn.18:25.
O desastre de pessoas que perderam filhos, bens e casa tudo no mesmo dia, me lembra mais o drama de Jó, fiel a Deus mas afligido por Satanás. As perguntas que nos fazemos hoje, são as mesmas de Jó; “por que o Senhor permitiu isso? Onde está agora o Senhor?
Que resposta a igreja e os cristãos poderia dar a todo este sofrimento?
A pior coisa que os consoladores de Jó (seus 3 amigos) fizeram foi tentar responder alguma coisa, curiosamente eles não oferecem nada prático para Jó. Nenhum o leva para casa e cuida de suas feridas, nenhum lhe dá alimento, eles apenas tagarelam e tentam defender a Deus e insistem que Jó arrependa-se de alguma coisa. No final, Deus aparece e diz que eles não falaram o que era certo como o fiel servo Jó, e Deus levanta resgatadores para Jó que lhe recuperam os bens, finalmente mais tarde quando sua saúde também está restaurada ele tem filhas, talvez como um lembrete da ressurreição que um dia devolverá a todos, os amados que perdemos para morte.
A igreja esta respondendo, não com palavras ou teologia barata, não com explicações cientificas ou filosóficas, estamos respondendo com toneladas de alimentos, água, roupas e móveis que saem de todas as nossas igrejas e escolas para socorrer aqueles que vivem o drama de Jó. Onde está Deus? Na igreja! Somos seu corpo na Terra, braços e pernas de centenas de voluntários. Ontem enquanto via os desabrigados e a lama no noticiário da TV, vi uma senhora com um jaleco verde da ADRA (Agencia de Desenvolvimentos e Recursos Adventista) cruzando a lama. Lá está Deus, em sua igreja o Corpo de Cristo.
Li sobre uma mãe que recuperou com vida o filho de 2 anos que estava perdido, ela disse: "Não dá para explicar o que é ter um filho de volta". Em mais de 100 mortes e tanta tragédia, esta frase é quase como o fim do livro de Jó, não recupera o passado e o perdido, mas prenuncia o tempo em que muitos sentirão o mesmo que esta mãe no dia da ressurreição por ocasião da volta de Jesus.
Por Pr. Ericson Danese

Nenhum comentário: