sexta-feira, 12 de junho de 2009

MAMÍFEROS - O Top de linha do Projeto Divino

Sabes tu o tempo do parto das cabras montesas, ou podes observar quando é que parem as corças? Podes contar os meses que cumprem, ou sabes o tempo do seu parto? Encurvam-se, dão à luz as suas crias, lançam de si a sua prole. Seus filhos enrijam, crescem no campo livre; saem, e não tornam para elas. Jó 39:1-4

Embora alguns deles possam ter aparecido nas águas e no ar, quando Deus criou os animais do quinto dia, a maioria apareceu no sexto dia da criação, os mamíferos são o top de linha do design inteligente, são criaturas versáteis capazes de sobreviver e prosperar em quase todo lugar e estão divididos em várias ordens, famílias e espécies.
Como os identificamos como mamíferos?
A resposta é: O Criador usou um projeto base para estes seres, que os diferencia dos outros animais e os capacita ocuparem seu lugar na Criação. É um projeto mais complexo, para tarefas mais complexas.
Seu esqueleto apresenta em geral sete vértebras na coluna cervical, com exceção do peixe boi que tem seis, e de alguns tipos de bicho preguiça que têm oito ou nove. Mas é o crânio que os distingue quanto às ossadas de outros animais, pois só os mamíferos têm a mandíbula na forma de um único osso articulado diretamente com o crânio. Seu crânio é o único que contém os três ossículos do ouvido, o martelo, bigorna e estribo. Aliás, os mamíferos são os únicos animais que tem orelhas, salvo casos como as focas, baleias e golfinhos. Um cão é capaz de ouvir freqüências sonoras que não ouvimos, pode girar suas orelhas como antenas, algumas raposas, tem orelhas enormes que funcionam como grandes sensores captando os mínimos ruídos. Mas há mamíferos que podem até mesmo ‘enxergar no escuro’ lendo os sons que ecoam e são interpretados por seu sistema de ecolocalização, são os morcegos, golfinhos e cachalotes.
A laringe é um órgão característico para os mamíferos, usado para respiração e emissão de sons. Esta estrutura respiratória é ainda auxiliada por um músculo chamado diafragma, que separa os órgãos torácicos dos abdominais. Graças à audição e vocalização fruto de um projeto mais detalhado, os mamíferos são grandes comunicadores.
As florestas tropicais ecoam com os gritos dos bugios, os lobos uivam, caninos, felinos, roedores e muitos outros têm diferentes tipos de gruídos para circunstancias diferentes. Golfinhos tem uma gama enorme de sons e as baleias chegam a se comunicar através do canto. Porém, não é só de sons que os mamíferos utilizam para se comunicarem, há uma infinidade de cheiros e odores usados para demarcar território e descrever cada criatura. Muitos mamíferos tem glândulas de cheiro, algumas até como meio de defesa e na maioria deles, o olfato é extremamente desenvolvido. Os cães praticamente enxergam o cheiro das coisas e um urso é capaz de sentir o cheiro de suas presas a kms de distância.

A comunicação é o grande poder de muitos dos mamíferos, embora vários insetos possam viver em colônias, peixes e aves possam viver em cardumes e bandos, os mamíferos constroem clãs, manadas e bandos complexos, com líderes e hierarquias organizadas capazes de se defender, ajudar no cuidado das crias, montar e executar estratégias de caça e tomar decisões em conjunto. Sua visão é apurada e muitos vêem cores, alguns, tem equipamento de visão noturna, capaz de captar cada raio de luz que escoa pela escuridão.

Muitos deles tem um super sentido de tato, que possibilita ler os mínimos detalhes mesmo na escuridão. Tudo nos mamíferos parece ser o melhor que natureza oferece.
Até os céus foram conquistados por mamíferos planadores e alados.

Seu cérebro é maior e mais complexo, o que os faz mais hábeis e inteligentes, mas o destaque é o campo das emoções. Os mamíferos possuem dentes diferenciados para quase todas as funções prender, cortar, roer e triturar. Sua boca apresentam lábios, que lhe possibilitam a atividade que os denomina como mamíferos. Os mamíferos bebem leite em sua fase infantil, esse alimento tem todos os nutrientes e substâncias necessários para desenvolver sua saúde e prevenir doenças, por outro lado, o organismo dos filhotes está preparado para absorver este alimento com enzimas especiais. É um fato que não poderia ter se desenvolvido com milhões de anos de evolução, mas que foi maravilhosamente projetado.

As glândulas mamárias estão em todos os mamíferos, mas são mais desenvolvidas nas fêmeas para alimentar suas crias, daí os lábios para auxiliar na sucção sem machucar a ‘mamãe’.
Mas existem mamíferos que tem glândulas mamárias, mas não tem mamas, são os Monotremos, com dois representantes a Equídea e o Ornitorrinco. O leite escorre pelas glândulas na pele pelos pêlos e é absorvido pelo filhote. Por que eles não têm mamas como os outros? Simples, por que eles também não têm lábios, Equídeas e Ornitorrincos têm bicos.
O coração dos mamíferos tem quatro cavidades e separa o sangue arterial do venoso, sendo criaturas de temperatura corporal constante entre 36º e 40º, o que os permitiu colonizar quase todos os ambientes. Se o calor for muito grande, sua pele com glândulas sudoríparas entra em ação e refresca o mamífero, porém como isolante do frio e proteção da pele, a maioria possui pêlos, abundantes ou localizados. As baleias e golfinhos, porém, não apresentam nenhum pelo, pois atrapalharia seu projeto hidrodinâmico, em lugar deles, eles ganharam uma camada grossa de gordura isolante do frio.
Em alguns casos, os mamíferos apresentam sobre a pele cascos, unhas, garras, chifres e pêlos modificados para defesa na forma de espinhos e placas, como o ouriço, o tatu e o pangolim.
Os mamíferos também possuem bexiga urinária separada do tubo digestivo, exceto o exótico Ornitorrinco que como as aves e répteis, possuem cloaca. Em geral, os mamíferos são gerados dentro do útero de suas mães, isso seria algo muito incomum, pois o corpo rejeitaria qualquer corpo estranho de outra genética se desenvolvendo dentro de si o expulsaria ou destruiria, mas os mamíferos, envolvidos numa placenta e alimentados por um cordão umbilical que os liga a mãe se desenvolvem até a hora em estão prontos a sair. Tal sistema não poderia desenvolver-se progressivamente, pois é muito complexo e delicado, qualquer problema seria fatal para o filhote. Pense no tempo certo de gestação, músculos e ossos preparados para o parto, cordão umbilical e placenta. Tudo isso tem que estar completamente pronto e não pode falhar.
Mas existem os curiosos Marsupiais que saem mais cedo da barriga de suas mães. Ainda indefesos e com desenvolvimento incompleto migram para uma bolsa de pele no abdômen (o marsúpio) onde terminam de se desenvolver. A reprodução dos marsupiais é ainda um enigma maior para evolucionistas. Como se desenvolveu o marsúpio? Sem um marsúpio pronto, o filhote não sobreviveria, tinha que estar pronto de início. Há ainda os já citados Monotremos, que diferentes de todos os outros põem ovos de casca mole. Tudo isso faz dos mamíferos, um dos grupos de animais mais variados, impressionantes e adaptáveis que Deus criou. Acima dos animais, está um ser mamífero dotado de faculdades espirituais especiais que o fazem estar além do reino animal.
O homem com seu corpo forte e atlético erguem-se acima de todos os outros seres em beleza, habilidades e versatilidade. Pés e pernas fortes para correr, braços e mãos capazes de operar com destreza e minúcia, mas principalmente um cérebro diferente a além dos demais mamíferos, capaz de emoções e julgamentos profundos, capaz de copiar, criar e adaptar idéias e objetos, um cérebro auxiliado por um corpo maravilhoso capaz de criar máquinas e estruturas que o ajudaria a sujeitar a Terra e os outros animais. O homem pode não ter uma pele capaz de suportar o frio, entretanto é capaz de criar roupas para isso, pode não ter garras e presas habilidosas, mas é capaz de inventar e construir ferramentas como estas. Mais do que tudo, o homem tem um cérebro capaz de compreender a natureza espiritual, capaz de escolher entre o bem e o mal. Se os mamíferos são o top de linha dos projetos do Criador, o homem é o top de linha entre os mamíferos.

Por Pr. Ericson Danese

Nenhum comentário: