sexta-feira, 10 de julho de 2009

PEIXES Os habitantes do mundo azul

“... ou fala com a terra, e ela te ensinará; até os peixes do mar to declararão. Qual dentre todas estas coisas não sabe que a mão do Senhor fez isto?” Jó 12:8-9

Os peixes são um dos grupos mais vastos e diversificados que existem no mundo animal. Eles surgiram nos rios e mares no 5º dia da Criação e encheram as águas de vida. O próprio Jesus contou parábolas sobre a rede e os peixes (Mt.13:47).
O Criador fez seu corpo para cortar as águas e correntezas, normalmente ele está coberto de muco que o deixa liso para escapar dos predadores e deslizar pela água. Diferentes dos répteis, as escamas dos peixes nascem da própria derme na sua pele, alguns deles tem placas rígidas como uma armadura.
As nadadeiras ou barbatanas são prolongamentos da pele sustentados por escamas na formas de raios ou de espinhos. Conforme abrem a boca ou sugam a água ela passa por suas guelras que removem o oxigênio do próprio elemento que os rodeia. Ainda naa singular fisiologia dos peixes encontramos a bexiga natatória, um órgão desenhado por Deus para que estas criaturas melhorem seu desempenho ao subirem e descerem na água. Ela expande e se encolhe conforme gazes são introduzidos por glândulas.
A forma de alguns, foi feita por Deus para viver em tocas e buracos, como a moréia que parece uma ‘serpente marinha’. Outros parecem perfeitamente camuflados ao fundo do mar, aos corais e pedras como o peixe escorpião ou o cavalo marinho que se esconde nas algas. O curioso baiacu, por sua vez toma forma de balão e infla seu corpo venenoso e cheio de espinhos para proteger-se de qualquer predador e o peixe lua, nada meio desengonçado com uma forma estranha e incompreendida.
Alguns peixes, desceram as maiores profundezas do mar, onde nem a luz do sol chega, a 6 mil metros sob uma pressão que esmagaria qualquer ser vivo da superfície, o Criador lhes deu corpos que para nós parecem estranhos, ou monstruosos mas são perfeitamente projetados para os rigores do frio, da pressão e da escuridão.
O marlim com seus 4m em forma de agulha e barbatanas poderosas, é o mais rápido do mundo atingindo cerca de 115km/h. Com um corpo enorme de 15m o maior peixe do mundo é um filtro d’água ambulante que se alimenta do microscópico plâncton, é o tubarão baleia. O menor peixe conhecido com 1cm é o Pandaka Pygmanga das Filipinas.
Os peixes, apesar de serem considerados como criaturas de cérebro simples, são capazes de feitos complexos como rituais de coorte, construir ninhos com bolhas de ar, juncos ou cuidar de suas crias protegendo-os dentro da própria boda. De forma estranha, alguns peixes conseguem um entendimento com criaturas irracionais muito diferentes deles, tal como o peixe chamariz que nada entre os tentáculos de uma caravela um invertebrado altamente venenoso que captura as presas do peixe chamariz e reparte o despojo, ou como o peixe palhaço que imune ao veneno da anêmona vive entre os seus tentáculos urticantes. Quem os ensinou?
Existe um grupo de peixes tão estranhos que nem tem ossos, nem mandíbula, seu crânio é incompleto e no lugar de espinha, apenas a notocorda um tipo de vareta cartilaginosa. Um exemplo é o peixe bruxa que parece um verme, é cilíndrico, viscoso e vive no lodo de águas geladas do oceano, mas lá Deus o colocou para limpar o fundo das águas de cadáveres de animais marinhos. A maldição do pecado parece ter transformado aslampreias em vampiros que sugam o sangue de suas vítimas ao aderirem a elas com suas bocas de sucção e língua raspadora de dentes afiados. A lampreia é um ser incomum, com apenas uma narina e um olho, talvez antes do mal degenerar algumas criaturas, a lampreia fosse um ser semelhantes aos peixes que limpam fundos de rio, lambendo pedras, fato é que lampreias já foram vistas agarradas a pedras com sua boca adesiva resistindo às fortes correntezas.
Entre os peixes cartilaginosos, ou seja, aqueles que em vez de ossos tem seu esqueleto feito de cartilagens, encontramos o peixe serra com seu focinho singular cheio de dentes expostos, esta serra possui poros sensíveis que ele usa para encontrar alimento no fundo arenoso e lodoso. As arraias com sua forma de disco habitam rios e mares, parecem literalmente voar debaixo d’água com suas nadadeiras em forma de ‘asas’ e uma cauda com poderoso ferrão venenoso. Nas profundezas vive a Quimera, com grandes olhos para buscar alimento no escuro e com um espinho duro junto à barbatana dorsal que a protege de ser engolida por bocas enormes das profundezas.
Entre os cartilaginosos está o mais poderoso predador dos mares, o tubarão. Dentro do ecossistema atual, o tubarão desempenha o papel no topo da cadeia alimentar como predador controlando as populações e limpando os mares de restos de carniça, cada tubarão tem dentes no formato do alimento que lhe foi destinado comer, mas é provável que antes do pecado amaldiçoar esta Terra os tubarões criados por Deus originalmente tivessem hábitos alimentares como o tubarão baleia ou como o tubarão frade que filtram o fitoplancton.
A atual ordem da natureza levou o Criador a prover para o tubarão uma gama de bioequipamentos para desempenhar seu papel. Ele é capaz de captar com seu olfato uma gota de sangue na água a centenas de metros, mas também é capaz de ver em ambientes de pouca luz, já que muitos deles têm um olho com fundo refletivo e espelhado, eles também têm ainda um excelente tato capaz de perceber vibrações na água, boa audição e uma pele que reduz o atrito na água.
O tubarão tem um ainda um 6º sentido, por meio de receptores especiais ele é capaz de sentir os pulsos elétricos emitidos por seres vivos, são as ampolas de Lorenzi que captam as batidas cardíacas de um peixe que emitem até 20 mil vezes menos que 1 volt. O especialista nesta arte é o tubarão martelo que graças ao formato exótico de sua cabeça consegue descobrir os pulsos elétricos dos peixes escondidos sob a areia do mar, como se sua cabeça fosse um grande detector de metais procurando objetos escondidos.
Os tubarões têm ainda uma peculiaridade, enquanto os peixes se reproduzem de forma externa e por ovas, os tubarões são vivíparos e já usavam a fertilização interna com órgãos sexuais distintos muito antes do que os evolucionistas consideram que tenha aparecido nos animais terrestres que eles argumentam serem nossos ancestrais. Como pode o tubarão ter inventando a fertilização interna antes e da mesma forma que os seres terrestres? O tubarão, encontrado em registros fósseis tão antigos, tendo um organismo tão aprimorado e diferente dos outros peixes contraria e desafia a teoria da evolução.
A outra classe é a dos peixes ósseos, que expressam a grandeza da criatividade de Deus, pois nos mares, lagos e rios há praticamente um outro planeta com criaturas que estamos apenas começando a conhecer.Assim é o peixe papagaio com um poderoso bico capaz de quebrar os corais dos quais se alimenta, os linguados que vivem camuflados no fundo do mar como tapetes, nascem com um olho de cada lado do corpo como qualquer peixe, mas ao desenvolverem-se um olho migra para o outro lado, deixando os dois do mesmo lado que ficará para cima no fundo do mar.
Estranho é hábito do cavalo marinho que incuba os ovos numa bolsa na barriga do macho, há também as carpas com seus barbilhos sensoriais no lado da boca que captam os movimentos de suas presas, há os limpadores como os bagres que habitam o fundo dos rios escuros e se orientam graças aos ‘bigodes’ super sensíveis, piranhas que na verdade comem frutos caídos no rio, mas na falta destes atacam em cardume com seus dentes poderosos dilacerando suas vítimas e sardinhas que se deslocam em grandes cardumes sem líderes, mas que se comportam como se fossem um único organismo.
As enguias elétricas capazes de gerar 300 volts e abater suas presas com choques que derrubariam um cavalo, a curiosa pirambóia, que arrasta-se pelo fundo dos rios, respira ar e a qual também abriga-se num túnel de lodo nas épocas de seca ou o singular peixe voador que com suas enormes barbatanas que lembram asas é capaz de saltar fora d’água 6m e planar cerca de 90m.
Entre os variados e impressionantes peixes está o rei dos peixes, o salmão. Este peixe nasce nos rios das montanhas e depois de crescer um pouco vai para o mar, todavia quando chega o momento da reprodução um mecanismo interno misterioso faz com que milhares deles encontrem o rio de onde saíram e gastem todas suas energias subindo o rio para desovar no mesmo local onde nasceram. O que os comanda para que despertem juntos ao desejo de regressar os rios de seu nascimento? Como ele navega e encontra o rio de origem?
Alguns dizem que o salmão usa o campo magnético da terra, mas que sentidos são estes que funcionam em um peixe sem raciocínio lógico como se fosse um moderno GPS? Ainda que você tivesse uma bússola, depois de vagar anos em mar aberto, seria capaz de encontrar seu ponto de partida no continente? Fazer cálculos de coordenadas geográficas e guiar-se por uma bússola não é algo tão simples. Dê uma bússola a um inteligente chipanzé e veja se ele consegue encontrar o caminho! O Criador não apenas dotou estas criaturas com equipamentos biológicos super desenvolvidos, mas também programou dentro deles o uso correto destes equipamentos. Quando sobe o rio, o salmão muda seu organismo da água salgada para a doce, até sua cor se transforma de prata para avermelhado e finalmente ele morre para que uma nova geração continue a viver.
Poderosas são as lições que obtemos do salmão e dos peixes em geral. Quando o profeta Habacuque contemplou os ímpios oprimindo os justos, lembrou-se dos peixes, “Tu que és tão puro de olhos que não podes ver o mal, e que não podes contemplar a perversidade, por que olhas pára os que procedem aleivosamente, e te calas enquanto o ímpio devora aquele que e mais justo do que ele. E farias os homens como os peixes do mar, ... que não têm quem os governe” (Hab.1:13-14) , talvez o profeta tenha lembrado que o mundo dos homens pecadores lembra o reino dos peixes, onde quem tem a maior boca engole o outro! Habacuque também disse, “Ele a todos levanta com o anzol, apanha-os com a sua rede; e os ajunta na sua rede varredoura; por isso ele se alegra e se regozija.”(Hab.1:15), um dia a rede passará como um arrastão, ninguém escapará, todos nós cairemos na rede Daquele que nos julgará conforme nossas obras. Está sobre você a graça de Cristo? Dia a dia você prossegue sendo transformado, como o salmão que sobe o rio, você está sendo transformado para subir aos Céus? Cristo tem santificado sua vida? Ore agora mesmo por isso!

por Pr. Ericson Danese

2 comentários:

Marcelo Antônio Milani disse...

Quanta diversidade e simplicidade os peixes possuem. Obedecem ao chamado de Deus mesmo com toda sua complexidade. Eu quero ir junto com o senhor para o céu...Maranata!!!

Clube Sirius - Desbravadores disse...

Mais uma vez parabéns pelo artigo Pastor. Sugestão para a continuação da série criacionista: insetos, árvores, terra!!! Forte abraço.