segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Código de Honra


Vi um daqueles filmes que ficam velhos mas sempre vale à pena assistir. É o tipo de filme que um Adventista assiste e logo se identifica. A história é sobre um rapaz judeu e pobre dos anos 50 que consegue entrar para uma escola particular de prestígio.
David Greene (Brendan Fraser) fica com medo do preceito anti semita e esconde sua verdadeira religião. Seu desempenho no time o torna popular, até que seu segredo é descoberto. A história chega ao seu limiar quando a honra da turma é colocada em teste por que foi descoberto que um aluno colou.

Lembrei de meus anos na escola, sendo o único Adventista e guardador do sábado no meio de 99% de amigos de outra religião. Eu despertava inúmeras curiosidades quando assunto era religião, tal como piadas ou curiosidade.
O que há de tão parecido conosco que um jovem adventista se identifique com um jovem judeu? R: Guarda do sábado e preconceito religioso!
Há uma parte interessante quando o jovem judeu é chamado para jogar e quebra um de seus princípios, o dia de sábado. Ele vai jogar, pois não quer decepcionar o time! Mais tarde, aqueles que ele se esforçou tanto em não decepcionar são os que verdadeiramente o decepcionarão.
Quantos adventistas são como David Greene. Por aí nas suas escolas e faculdades pressionados a quebrar seus princípios, sua honra. Quantos são iludidos pelo medo de serem segregados porque guardam um dia diferente do mundo todo, segregados porque não vão ao tipo de festas que o mundo oferece, não bebem, não fumam, não comem carne de porco, não fazem sexo antes do casamento.
Mas qual é nossa diferença? Estes hábitos em si não nos fazem diferentes. Somos normais. Gostamos de esportes, namoramos, casamos, temos festas (diferentes, mas são festas), temos nossos acampamentos, camporis, congressos. Temos um tipo de vida social. Sonhamos com a formatura e uma carreira brilhante. Almejamos uma família e valorizamos os amigos.
Em resumo, ser um jovem adventista num ambiente que as pessoas não compreendem nossos hábitos é sempre um desafio. Mas quando as pessoas percebem em nós, honra e integridade, a nossa fé e costumes se tornam mais respeitáveis aos outros diferentes de nós.
Por que ter vergonha de ser o que somos? Por que nos escondermos como se estivéssemos fazendo algo errado? Cada jovem adventista é um convite ao mundo, uma voz aos outros jovens dizendo: ‘Há felicidade em Cristo e em seus mandamentos’!
Honra é manter o respeito pelo que somos independente do preconceito dos outros.

por

Pr. Ericson Danese

Nenhum comentário: