quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Deus ama os ateus e eu também

Amigos do Azimute, nosso blog nunca foi tão visitado e comentado, desde que começamos a série sobre Maravilhas da Natureza (veja nos marcadores ao lado), mas o mais badalado dos posts foi ‘Ateus Famosos’ que recebeu vários comentários, todos de ateus obviamente descontentes. Achei estranho, pois sei que os bons ateus de nível e classe usariam de outros argumentos e de linguagem muito diferente. Todos os ateus que conheci eram pessoas educadas e muito diferentes dos comentários que recebi nas postagens mencionadas.
É uma pena que tive que apagar, não porque apago os comentários de quem discorda deste blog, mas porque o conteúdo dos comentários era de ofensas pessoais e não combinava com nível que nos propomos aqui. Comentários agressivos são apagados e ignorados, esta é nossa filosofia de trabalho por aqui. Este blog não é um fórum de debate e nem tem a intenção de responder aos que discordam de nossa cosmo visão, muito menos daqueles que nos perseguem ou ofendem.
Eu apenas uso este blog para compartilhar a fé. Não sou apologista e nunca me coloquei como cientista, mesmo apreciando a ciência. Como diria o agnóstico da ‘poeira de estrelas’, “não precisamos ser maestros ou ler partituras para apreciar música, nem precisamos saber fazer equações matemáticas, conhecer o nome de todos os ossos e músculos ou saber todas as combinações químicas para apreciar a ciência”, e quem sabe um cara simples como eu, sem graduação científica, pode até cantar no chuveiro sem ser músico ou escrever um blog com mistos de ciência e religião. Não posso escrever sobre ciência? Acenderam-se as fogueiras da inquisição? Enquanto a ciência me apresentar as maravilhas do Criador, a ciência será também uma forma de louvar o meu Redentor, então continuarei escrevendo.
Quanto aos ateus, de fato eu não queria irritar ninguém, se Deus lhes deu o direito de duvidar ou descrer, quem sou eu para mudar isso? Eu apenas acho que a maioria deles não é ‘ateu’, só pensam ser ou decidiram ser. Na verdade, são pessoas decepcionadas com erros dos cristãos, pessoas decepcionadas com o modelo de Deus que erroneamente lhes foi apresentado e decepcionados com tantas religiões conflitantes, líderes religiosos corruptos e expectativas com a fé que aparentemente nunca foram alcançadas.
É inegável que anos de manobras e sofismas materialistas produziram uma plataforma para tudo isso, e agora construiu-se uma lógica para o ateísmo. Volto a insistir que a única lógica disso é o que diz a Bíblia; “Diz o insensato no seu coração: Não há Deus” Salmos 141:1. Este texto foi o que incomodou meus leitores ateus, mas o que posso fazer, a Palavra de Deus é como um ‘aguilhão’, cutuca quem deve ser cutucado, perturba os conformados e consola os perturbados.
Comecei a escrever este blog apenas como um exercício de reflexão, depois tantas pessoas se sentiram abençoadas e me agradeceram e incentivaram que percebi que isto não era apenas meu, pois já tinha se tornado uma espécie de ministério. Recebo aprovações e também críticas. Em geral as criticas nos ajudam muito, pois elas nos ajudam a melhorar e perceber quando tentamos dizer uma coisa e somos entendidos com outra. Mas quando os críticos reagem agressivamente, com linguajar ofensivo e de baixo nível, de forma anônima, então ‘pelos frutos os conhecemos’.
Uma das críticas que recebi tinha algo interessante, o autor em meio aos seus impropérios a minha pessoa me sugeriu que eu fosse à biblioteca mais próxima e lesse livros de biologia. Ele não sabia que com 8 anos de idade eu ia todos dias a biblioteca pública de minha cidade e passava horas lendo tudo o que havia disponível sobre dinossauros, evolução, geografia, biologia e história antiga, ele não sabia durante minha vida de estudante sempre fui aprovado com êxito em biologia, nas provas de professores evolucionistas e até ateus. Ele não deve ter lido o post sobre ‘Céticos e Ortodoxos’, e desta forma não sabia que já li ‘Origem das Espécies’ de Darwin, coisa que a maioria dos Darwinistas nunca fez e só repete o que ouviu de outros, não sabia que já li os livros de ateus célebres como Carl Sagan e Richard Dawkins e que foram eles quem mais abriram meus olhos para as maravilhas da natureza e com isto percebi que minha fé tinha outro firme fundamento além da Bíblia.
A natureza é a maior prova da existência de Deus, mas só por ela não é possível compreender o Divino. Note que o senhor Dawkins argumenta que Darwin produziu a explicação necessária para não precisar mais crer em Deus, mas o próprio Darwin apesar de discordar da Bíblia nunca foi um ateu. Corremos o risco tal como Darwin de devido as ‘imperfeições’ da natureza termos uma interpretação vaga ou errônea da pessoa de Deus. Por isso precisamos da revelação especial pelos profetas e pela vida de Cristo. É isso que nos faz diferentes dos pagãos!
“Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis; porquanto, tendo conhecido a Deus, contudo não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes nas suas especulações se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se estultos,” Romanos 1:17-21
Outro crítico, em meio a confusão de digitação de seu comentário mencionou que eu devia explicar por que existe tanta imperfeição na natureza. Bem, existe imperfeição na natureza e ninguém nega isso, assim como também existem obras incríveis, impressionantes e maravilhosas. Mas não tenho a intenção de responder isso, por que o mal não tem resposta, o mal simplesmente é conseqüência da rebelião contra Deus, uma rebelião cujo efeitos colaterais atinge culpados e inocentes, pois o mal sempre é injusto e não poupa ninguém. O mal não tem resposta porque é um intruso no plano de Deus, nunca foi planejado, surgiu devido à escolha possível graças ao livre arbítrio. Ateus revoltosos com a injustiça e o sofrimento deste mundo parecem ser muito inteligentes ao perceberem que há algo errado, como foi mencionado por um dos meus críticos. Agora que perceberam o que nós cristãos já falamos há muito tempo, só falta para eles se colocarem do lado certo deste conflito entre o bem e o mal que produz toda sorte de sofrimento na história deste planeta. Sim ateus, há algo errado com a natureza e com o mundo, então unam-se a nós e rendam-se a Cristo!
Deus poderia simplesmente fazer o mal desaparecer, mas isto seria um truque de mágica e Deus não faz mágica, pelo contrário, o método de Deus é o amor, ou seja, Ele está transformando homens maus como eu e você em homens bons a imagem e semelhança de Jesus. Deus nunca invade nossa liberdade, Ele deixa que cheguemos à conclusão que há algo de errado neste mundo para então concluirmos que Ele é a única saída que poderíamos ter.
De fato, me dei por conta que os ateus estão muito, muiiiiiiiito próximos por suas próprias conclusões de vir a crer! Repito a idéia, alguns bons ateus no futuro serão como C. S. Lewis ‘o mais relutante dos convertidos’! Digo sem querer provocar, sem ironias ou sem falsa piedade: Deus ama os ateus e eu também.
“para que buscassem a Deus, se porventura, tateando, o pudessem achar, o qual, todavia, não está longe de cada um de nós;” Atos 17:27

Por Pr. Ericson Danese

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Realidade Espiritual no Universo Natural

Os amigos que visitam nosso blog devem se perguntar por que gastamos tanto espaço aqui para falar sobre criacionismo e sobre a natureza. Por que o blog mantido por um pastor se dedica a tais assuntos?
De uns dias para cá estou fazendo minha meditação matinal estudando os Evangelhos e os livros Parábolas de Jesus e Desejado de Todas as Nações, cito a seguir um texto de Ellen G. White que explica o meu interesse por tais assuntos:
"Ora, o pecado manchou a perfeita obra de Deus, todavia permanecem os traços de Sua mão. Mesmo agora todas as coisas criadas declaram a glória de Sua excelência. Não há nada, a não ser o coração egoísta do homem, que viva para si. Nenhum pássaro que fende os ares, nenhum animal que se move sobre a terra, nem humilde haste de erva é sem utilidade. Toda árvore, arbusto e folha exalam aquele elemento de vida sem o qual nenhum homem ou animal poderia exigir; e animal e homem servem, por sua vez, à vida da folha, do arbusto e da árvore. As flores exalam sua fragrância e desdobram sua beleza em bênção ao mundo. O Sol derrama sua luz para alegrar a mil mundos. O próprio oceano, a origem de todas as fontes, recebe as correntes de toda a terra, mas recebe para dar. Os vapores que lhe ascendem ao seio caem em chuveiros para regar a terra a fim de que ela produza e floresça." DTN, 20-21.


Há dezenas de outros textos semelhantes sobre a importância do estudo da Natureza, é claro, acompanhado pela Bíblia, pois o pecado manchou a Natureza e dificulta nossa interpretação.

"A Terra obscureceu-se devido à má compreensão de Deus. "DTN 22

Esta 'má compreensão de Deus', nada mais é do que atribuir a Natureza uma interpretação materialista e cruel, onde os seres vivos são regidos pela luta entre si movida pela fome e reprodução, onde o mundo inanimado é regido pelo acaso.

Eu sei de um Deus que é amor, eu sei de um Deus que interfere e Se envolve com Sua criação. Eu sei de um Deus que redime aquilo que foi maculado!

Obrigado por suas visitas, aproveite os links sobre Natureza e Criacionismo e venha comigo conhecer a Natureza, o outro livro de Deus.
por Pr. Ericson Danese

terça-feira, 15 de setembro de 2009

ARACNÍDEOS - Assustadores ou Surpreedentes?

Chocam ovos de basiliscos, e tecem teias de aranha; o que comer dos ovos deles, morrerá; e do ovo que for pisado sairá uma víbora. Isa. 59:5

O texto de Isa. 59 trata sobre a razão pela qual Deus não está cumprindo suas promessas para com seus povo. O fato que ocorre é que os pecados fazem separação entre Deus e Seu povo. Na verdade o capítulo vai se dedicar a demonstrar a real natureza traiçoeira do povo, arquitetando cuidadosamente ciladas tal como as aranhas tecem suas teias para vítimas descuidadas. Se o ditado diz que Deus não dá asas a cobras, também é certo que não deu aos aracnídeos, seres de um mundo em miniatura por um lado assustador devido sua natureza predatória e por outro, surpreendente por suas habilidades tão especiais e complexas.
Eles não são insetos, diferem destes pelo fato que aracnídeos nunca tem asas, sempre tem 8 patas, embora possam ter apêndices como cauda ou pinças e possuem o corpo dividido em duas partes.

Os menores aracnídeos que existem são os Ácaros. Existem cerca de 30 mil tipos deles. Estes microscópicos aracnídeos habitam no pó, mas também há alguns tipos aquáticos inclusive marinhos. Encontramos ácaros que se alimentam de plantas, outros que se alimentam de restos e detritos e ainda os que são parasitas. Os ácaros que habitam nossas casas infestam colchões, tapetes, brinquedos de pelúcia e roupas de lã eles comem os restos de nossa pele que perdemos em média 1g por dia. Estes ácaros produzem a maior parte das alergias e renites que afetam o homem. Há ainda, ácaros que vivem na pele humana provocando irritações que chamamos de acne e sarna.
Um pouco maiores e menos simpáticos são os Carrapatos, que infestam o mundo inteiro parasitando e sugando o sangue de suas vítimas, o que os faz transmissores de muitos tipos de doenças. Parece difícil imaginar a utilidade destas criaturas parasitas no mundo criado, no entanto sabemos que a natureza infestou-se de pragas modificadas pelo pecado.
Mas nem tudo o que nos parece praga e imprestável, talvez o seja! Os Escorpiões caçam por emboscada, esperam pacientemente por suas vítimas que são por sua vez muitas das pragas invertebradas que nos atormentam. Na verdade, os escorpiões podem baixar o metabolismo e passar até um ano sem comer e sem beber esperando sua refeição. Em pântanos ou desertos eles proliferam e já que são criaturas noturnas, seu sentido mais apurado não é a visão, mas o tato que munido de pelos sensoriais especiais pode detectar as mínimas mudanças no ar e ondulações no solo.
Embora o veneno do escorpião pareça uma maldição, cujas 40 espécies de 1,3 mil conhecidas sejam letais ao homem, estamos apenas agora tendo uma vaga idéia de porque o Criador permitiu tais animais portarem estas toxinas. Percebeu-se que a proteína de seu veneno, em forma isolada não faz mal ao homem e pode ajudar a combater o câncer no cérebro.[1] Dizem que a diferença entre o veneno e o remédio, é só a dosagem. Talvez Deus já tenha nos dado uma surpreendente farmácia na natureza.
Os ‘escorpiões-vinagre’ são curiosamente parecidos com os escorpiões, mas no lugar do ferrão na
cauda, possuem um tipo de cauda em forma de antena. Suas glândulas anais segregam um odor defensivo forte com cheiro de vinagre.
Teria sido assim os escorpiões antes do pecado amaldiçoar esta Terra? Talvez. Quem sabe em fez de ferrão um tipo de cauda e no lugar de pinças que servem para prender a presa, haveria pinças para revirar e reciclar o solo tal como os caranguejos o fazem com a areia da praia.
Um meio termo entre aranhas e escorpiões são os Pseudoescorpiões. Eles têm 2-6 milímetros e aparentemente são mini escorpiões, mas não tem cauda. Capturam suas presas com suas pinças como os escorpiões, mas injetam veneno pela boca como as aranhas. No mundo dos aracnídeos, existem ainda outros semelhantes a escorpiões e aranhas, tal como os amblipigeos e os solífugos.
Há ainda os opiliões erroneamente confundidos com as aranhas, seres que não possuem veneno, não fazem teias e ao contrário das aranhas, são capazes de ingerir alimento sólido. Os opiliões são predadores noturnos que se defendem com glândulas de mau cheiro. São encontrados em cavernas, florestas e savanas. O segundo par de patas é normalmente mais longo que o primeiro, pouco usado para locomoção e mais habilidoso para funções sensoriais.
Por sua vez, nada no mundo dos aracnídeos se compara as quase 40 mil tipos de aranhas que existem. Elas proliferam em toda parte temendo apenas as vespas, os pássaros e os morcegos seus predadores. Dizimam pragas como baratas e mosquitos.
Na primeira parte de seus corpos encontramos o cefalotórax que comporta o cérebro muito simples composto de apenas dois aglomerados de neurônios que acionam todo o complexo sistema nervoso capaz de reflexos apurados, cálculos para construção da teia e coordenação dos sentidos especiais tais como alguns pêlos super sensíveis capazes de captar mínimas vibrações no ar (som). Tudo isto sobre quatro pares de patas, munidos de tufos de pelos com micro pés capazes de aderir e agarrar em quase todo tipo de superfície.

A segunda parte de seu corpo é o abdômen que abriga o coração que nada mais é do que um tubo envolto num músculo. A seguir temos o canal alimentar, órgãos reprodutores e pulmões que trocam o oxigênio pelo gás carbônico quando este passa por uma fina traquéia e pulmões em forma de folhas de um livro. E finalmente, sua mais incrível característica é as fiandeiras.
Na verdade, os cientistas não sabem explicar exatamente como as aranhas fiam, nem são capazes de reproduzir sua seda que é muito superior a qualquer outra produzida por outros invertebrados. É como se Deus tivesse instalado micro fábricas que na verdade são ‘maquinas’ biológicas que produzem uma proteína. Cada glândula fiadeira produz um tipo de fio, para tipos diferentes de propósitos. A engenhosidade é tão complexa neste pequeno ser, que a aranha pode controlar até a espessura do fio que quer produzir. As glândulas fiadeiras expelem um líquido que ao entrar em contato com o ar se tornam um fio, o qual combina perfeitamente resistência a flexibilidade.
A seda pode ser revestida de camadas duplas, pode receber cobertura adesiva ou impermeabilidade a água. Ela é 5 vezes mais forte que o aço, e 2 vezes mais forte que kvalar usado para confeccionar coletes a prova de bala. Um fio pode se estender sobre o próprio peso por até 70km sem quebrar. É tão forte que há quem estime que um fio da grossura de um lápis poderia parar um boig 747. Muitas aranhas comem e reciclam a própria seda, não há desperdício!
O homem já se utilizou destes fios preciosos em instrumentos ópticos, algumas tribos da América
do Sul os aplicam para curar feridas, Polinésios a usaram como linha de pesca e nativos de Madagascar chegar a produzir um tipo de tecido com uma variedade dourada da seda.
A seda foi projetada pelo Criador para muitas utilidades para a aranha, confeccionar ninhos e ambientes para os ovos e filhotes, cabo de segurança em sua ‘escaladas’ e existe até um tipo de filhote de aranha que estica um fio com tufo na ponta que o carregue no vento como se fosse um paraquedista, acredita-se que foi assim que as aranhas colonizaram as distantes ilhas do Havaí.
Porém é como armadilha que mais conhecemos a seda. Existem muitas formas, algumas são apenas buracos tapados com um alçapão de seda e outras são elaboradas e geométricas construções, muitas vezes incolores e fatais.
Algumas aranhas fazem uma espécie de rede e saltam sobre suas vítimas as envolvendo e emaranhando, outras como a aranha boleadeira da América do Sul estendem um pequeno fio com uma gota adesiva repleta do odor de mariposas, a aranha gira o fio até que as mariposas são atraídas e finalmente grudadas no fio a girar da aranha são capturadas.
A maioria das teias é irregular, mas a mais comum é a orbicular que lembra uma rede com anéis que saem do centro. A aranha não fica grudada na própria teia porque possui patas impermeabilizadas e sabe onde pisar, pois nem todos os fios são adesivos.
Em alguns lugares do mundo as aranhas são capazes de viver em colônias, construindo grandes teias que ligam a copa das árvores e captura tudo o que passa por ali, algumas vezes até pequenos pássaros. Quando Pastor na cidade Cruz Alta-RS, tive a oportunidade junto com meu clube de Desbravadores de estudar uma enorme teia que ligava as árvores entre um rio de uns 5 metros de extensão. Eram cerca de 50 ou 60 aranhas da espécie Nephila Clavips, a popular tecedeira dourada que fia uma seda cor de ouro e muito resistente. No verão seguinte, voltei ao mesmo lugar para fotografar, mas era tarde demais. O veneno usado para pulverizar plantações vizinhas já havia acabado com elas.
As aranhas que não fazem teia também são grandes caçadoras, entre elas está a maior aranha que se conhece, a caranguejeira chegando a ter um corpo com 5 a 8cm. Caça cravando na vítima suas presas que recebem o nome de quelíceras. Também chamadas de tarântulas, estas aranhas vivem em tocas e possuem o corpo coberto de pêlos, na maioria das vezes urticantes para defendê-las dos predadores.
Em matéria de veneno, as aranhas brasileiras mais perigosas são as pequenas ‘aranha marrom’ que aprecia as frestas das casas humanas e a famosa ‘viúva negra’ que devora o macho após a cópula, hábito comum entre aranhas e escorpiões. A mais agressiva e perigosa de todas é aparentemente, a ‘armadeira’, muito comum em gramados altos seu veneno é nerotóxico e cardiotóxico, nestes casos a única saída é a procura de um posto de saúde para tomar o soro.
As aranhas não engolem nada sólido, elas injetam veneno que derrete sua vítima por dentro e depois sugam para seu estômago. Como seria no tempo antes do pecado, quando não havia
morte e predação? Talvez como alguns insetos, estes aracnídeos tivessem um aparelho bucal feito para perfurar e sugar plantas, ou ainda seu veneno operasse tal como um suco digestivo jogado sobre o alimento para depois ser sugado tal como as moscas o fazem.
O grupo das aranhas é de uma variedade enorme, tal como aranhas que tem a habilidade de se camuflar com a mesma cor de uma flor tal como amarelo, branco ou verde e atocaiar abelhas desavisadas. A aranha saltadora com seus olhos enormes pode rastrear seu alvo e saltar até 50 vezes o seu tamanho sobre este. Há outra aranha que se especializou na arte do mergulho e caça insetos aquáticos e pequenos peixes, é a aranha aquática (Argyroneta aquatica) que constrói um ninho com bolhas de ar para poder respirar. Transporta pequenas bolhas sobre o ventre para o fundo em lagos e locais de água parada, junto a uma folha ou caule de planta aquática.
Como vimos, os aracnídeos e em especial as aranhas são seres altamente especializados e complexos.
Notavelmente, no registro fóssil segundo a datação evolucionista, estes animais aparecem nas camadas mais antigas, tais como são hoje ou maiores, mas iguais. Não há ancestrais ou formas evolutivas intermediárias, porém há abundante registro fóssil de escorpiões e aranhas como que surgindo abruptamente entre os primeiros animais terrestres no Carbonífero e Permiano. Nenhum modelo evolucionista pode apresentar evidência fóssil ou experimental da formação de habilidades, fisiologia e hábitos destes animais.
De fato, os aracnídeos são uma evidência contrária ao Darwinismo e assustadora para os Evolucionistas, mas para os Criacionistas, é mais um mundo de seres surpreendente feito por Aquele que projetou todas as coisas maravilhosas.

Por Pr. Ericson Danese
[1] http://ciencia.hsw.uol.com.br/escorpiao-sem-agua-e-comida1.htm

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

30 coisas que vivi e me sinto grato a Deus

Andei refletindo sobre minha vida particular, pois hoje completo 30 anos. Decidi escrever pelo menos 30 lembranças ou impressões sobre a vida que fazem pensar que estes 30 anos valeram a pena. Obrigado a todos por participarem dos meus últimos 30 anos.
1. A despeito das tristezas familiares que tive ou das frustrações que passei; se Deus me permitisse escolher, escolheria viver novamente exatamente a mesma vida e com a mesma família que Ele me deu, desde a minha infância. Só por minha mãe já teria valido a pena.
2. Encontrei uma esposa e uma segunda família na família de minha esposa.
3. Pude namorar quando jovem, me apaixonei e casei com esta mulher (hoje minha esposa) e experimentei a mais sublime sensação da vida. Amar!
4. Conheci o amor na experiência de ser pai!
5. Tive uma filha que me fez esquecer as tristezas do passado.
6. Fui chamado para uma vocação que se transformou numa das maiores realizações da minha vida. A obra Pastoral.
7. Tive a alegria de ajudar pessoas encontrarem o caminho da felicidade, batizei e vi muitas delas se entregarem a Deus;
8. Fui escolhido para trabalhar na única instituição desta Terra que Deus verdadeiramente se importa;
9. O menino que começou trabalhando numa oficina, com 12 anos e tinha as mãos cheias de graxa, pode cursar uma faculdade e ingressar num mestrado.
10. Ao contrario de centenas e milhares de desafortunados, eu aprendi a ler e com isso me apoderei dos pensamentos e idéias de vários homens ilustres de toda a história.
11. Eu li toda a Bíblia e guardei em meu coração a Palavra Viva;
12. Eu pude decidir por Cristo e ser batizado;
13. Eu fui Desbravador;
14. Eu fui líder da Igreja Adventista do Sétimo Dia e conheci pessoas fantásticas, aprendi sobre o ser humano e me apaixonei por eles;
15. Eu desenhei e pintei muito, quadros, caricaturas, papel e lápis, fiz obras de arte que poucos conhecem ou valorizam, mas por algum motivo me deram muito prazer em fazê-las.
16. Eu ajudei a fundar novas igrejas;
17. Na minha mesa sempre teve pão e experimentei a boa e saudável comida que alegra o paladar;
18. Minha cabeça sempre teve um teto e morei em vários lugares, conhecendo gente diferente e surpreendente;
19. Eu viajei um pouco na estrada e um pouco nos livros, o suficiente para saber que o mundo é muito legal.
20. Eu estudei e observei as estrelas e sonhei em atravessar céus e planetas;
21. Eu observei e estudei a natureza e me fascinei com o poder de um Deus Grandioso;
22. Eu fiz grandes amigos e alguns amigos gigantes;
23. Eu pude brincar e me divertir quando criança;
24. Eu tive saúde e força para trabalhar e conquistar tudo o que queria;
25. Deus me deu segurança num mundo instável;
26. Deus me livrou da morte, pelo menos uma vez que sei, fora as outras que desconheço;
27. Deus me perdoou muitas vezes e tive uma experiência pessoal com Ele;
28. Estive no pódio algumas vezes;
29. Descobri que talvez nem todas, mas muitas pessoas gostam de mim e fui amado por algumas pessoas;
30. Tenho a sensação dentro de mim, de ter contribuído com a história de alguma forma que não posso medir se foi grande ou pequena ou compreender se foi essencial ou oportuna. O importante; é que vivi.
A vida não passa rápido, ela simplesmente passa!

terça-feira, 8 de setembro de 2009

CÉTICOS E ORTODOXOS

Numa época em que a Europa dava os primeiros passos para tornar-se uma sociedade pós-cristã, Gilbert Keith Chesterton, um intelectual gordinho e bem humorado foi contra toda a torrente avassaladora de ceticismo de seu tempo, tornando-se cético em relação aos céticos.
Estou lendo, lenta e reflexivamente este gigante da literatura cristã em sua obra que influenciou os maiores líderes e pensadores cristãos de nossa época. Refiro-me a brilhante obra ‘Ortodoxia’, onde Chesterton usa o cinismo para combater os escarnecedores e a dúvida para confundir os céticos. Descobri que Chesterton e eu temos alguma coisa em comum. Ele conta sobre sua experiencia:
“Li a literatura cética e científica do meu tempo ...
Foram Huxley, Hebert Spencer e Bradlaugh que me trouxeram de volta à teologia ortodoxa. Eles me semearam na mente as primeiras fortes dúvidas da dúvida. Nossas avós estavam muito certas quando diziam que Tom Paine e os livre pensadores perturbavam a cabeça. Perturbavam mesmo. Perturbavam a minha de um modo horrível. O racionalista me fez perguntar se a razão tinha alguma utilidade qualquer; e, quando terminei Herbert Spencer, eu já fora tão longe que duvidei (pela primeira vez na vida) se a evolução havia sequer acontecido. Quando depus a última das palestras atéias do Coronel Ingersoll, irrompeu o terrível pensamento: “Tu quase me persuadiste a ser cristão”. Eu o era de um modo desesperado.” Pg. 140-141.
Diferente de Chesterton, eu nunca fui ateu em algum momento de minha vida. Mas por outro lado, experimentei o contato com a teoria da evolução e o materialismo, não por dúvida ou por curiosidade, nem por desejo de fazer apologia. Olhei o outro lado (teoria da evolução), por que ela não explica a origem das espécies ou do cosmos, mas explica por que o homem pós moderno pensa como pensa, uma vez que foi influenciado por esta filosofia.
De início me aproximei com cautela, e creio que deve ser esta a postura de todo Cristão que confia no ‘assim diz o Senhor’. Depois de estar cheio da Palavra Viva li aquilo que não era alimento para alma, mas apenas palha. Não aconselho ninguém ao mesmo, a não ser que queira perder tempo ou fazer o tipo de busca que fiz.
De inicio percebi o quão sagaz e brilhante é a teoria materialista evolutiva, a seguir, percebi que a evolução é decepcionante como um daqueles livros que prometem a solução de um grande mistério, gasta-se calhamaços de paginas para descrever e descrever e por fim não chegar a lugar nenhum. Como uma estória com final aberto, que você interpreta como quer. A conclusão é breve e um mero passo de crença baseada numa série de argumentos finamente alinhados para tentar convencer pelo volume, já que cada um em si não tem consistência.
Li os materialistas e evolucionistas, não porque eu precisava saber, nem porque eles merecem uma resposta, mas porque percebi que eles eram fanfarrões gritando muito e fazendo pouco. Afinal, conclui eu, eu não deveria me esforçar em refutar a evolução, mas como pregador eu tinha que oferecer algumas respostas, não para convencer alguém, mas para que os homens bons não pensem que não há respostas aos materialistas que triunfam com ministros do reino deste mundo.
Sou um ortodoxo, um ortodoxo no sentido pleno da palavra. Eles me chamariam de fundamentalista! Eu tenho um fundamento, a Bíblia!
Li A Origem das Espécies de Darwin, achei brilhante e depressivo, há uma busca desesperada em cada página por provar que o mal é um acaso e simples questão de azar nas probabilidades da vida. Darwin transforma a fome e a morte em suas aliadas para comprovar que Deus não se envolve no sofrido curso da vida na Terra. Darwin é esquivo com aquilo que o refuta e ele não pode explicar tal como a origem da vida, origem da consciência, instinto e inteligência. Eu li Darwin e pensei, ‘nada faz sentido na natureza e neste planeta senão à luz da teologia do Grande Conflito entre Cristo e Satanás’. Quando terminei Darwin eu estava convicto dos efeitos do pecado sobre tudo o que conhecemos em nosso planeta.
Eu li Carl Sagan, também assisti seus documentários e pensei; ‘este é o meu ateu preferido’. Fiquei impressionado com didática de Sagan para explicar a teoria da evolução com o exemplo dos caranguejos com carapaças que pareciam o rosto de guerreiros, fiquei estonteado com as descrições do cosmos e confesso que quando assisti o filme ‘Contato’ fiquei meio em dúvida se Sagan era ateu ou agnóstico. No fim de tudo, olhei para as estrelas e conclui exatamente o contrário do que ele tentava me convencer, ‘o cosmos é mesmo o relógio de Paley’ pensei eu. Sagan me provou aquilo que Darwin tentou me tirar, Sagan com suas descrições maravilhosas me provou que Deus de fato se interessa pelo universo da matéria. Sagan passou sua vida tentando negar isso, um dia apontou para uma foto da Terra tirada por uma sonda espacial muito distante de nós e disse; a Terra não passa de um pálido ponto azul. Mas o que a ciência popularizada por Sagan me provou, é que na verdade, a Terra é uma linda jóia azul pairando sobre o maravilhoso cosmos, a mesa de inventos de Deus.
Marcelo Gleisler e seu ‘Dança dos Mundos’ era só uma imitação do Cosmos de Sagan, nada de novo a não ser sua famosa explicação da poeira de estrelas. Pensei comigo, ‘e daí? A Bíblia diz: Tu és pó e ao pó tornarás’.
Por fim tem Richard Dawkins, comecei com ‘Rios que saiam do Éden’ onde ele debocha de clérigos como eu e me interessei por ‘Relojoeiro Cego’ onde ao contrário do que eu esperava; ele até elogia Paley, mas depois tece seu conhecido fel anti religioso. Na verdade Dawkins é tão bom para descrever a vida animal que se ele não manifestasse sua opinião religiosa eu até o poderia levar a sério. Dawkins é só uma sombra de Darwin, tal qual Huxley. Um homem com medo, talvez da morte, talvez da vida, talvez dos dois. Sua qualidade é a perspicácia e a habilidade com as palavras, o que o faz parecer intelectual. Agradeço a Dawkins por me provar que a Teoria da Evolução não tem nada haver com Biologia ou qualquer ciência, mas é apenas uma cruzada filosófica em busca do materialismo para dizer; ‘posso viver, ser e fazer o que quiser e nunca terei que prestar contas em nenhum tipo de juízo a nenhum Senhor de tudo que há’.
Obrigado ateus materialistas, vocês são a razão do triunfo da ortodoxia Cristã!
Por
Pr. Ericson Danese