segunda-feira, 23 de novembro de 2009

OS FELINOS e o Leão de Judá

Há três que têm passo elegante, sim, quatro que andam airosamente: O leão, o mais forte entre os animais, que por ninguém torna atrás; Prov. 30:29-30

Debaixo de lindos olhos como de vidro, por trás de um andar elegante e uma cobertura como que de pelúcia, esconde-se o projeto espetacular dos mais rápidos, ágeis e mortais mamíferos, os gatos e seus parentes selvagens.
Como o Criador os fez?
Por que os fez para matar?
Esta é a versão criacionista da história natural do grupo mais bem sucedido de mamíferos predadores terrestres do mundo, os Felinos!
História de Sucesso:
Evolucionistas se esforçaram em apontar um ancestral comum para felinos, cães, doninhas e ursos. Segundo eles, um antigo fóssil conhecido como Miacid seria o ancestral mais antigo dos Felinos e todos os animais com ‘almofadas’ embaixo das patas, no entanto o Miacid certamente era apenas uma versão fóssil dos Viverídeos, outro grupo de mamíferos carnívoros ao qual pertence a gineta ou civeta, um pequeno predador Africano de corpo longo e corpo malhado como um gato, mas que na verdade nem se quer é um felino.
Os fósseis de felinos mais antigos que encontramos já são de animais que são a versão fóssil de felinos tais como gatos, jaguatiricas e panteras.
Animais como o Dinictis, Proailurus e o Eusmilus eram gatos selvagens que representaram ou foram criados para originar o grande subfamília dos felis dentro da família Felinos, a outra subfamília, a dos panther (panteras) que inclui leões e panteras diversas (leopardos, tigres, onças) tem fósseis em versão gigante, tal como o Panthera Leo Atrox de 210kg um super leão que andou pela América do Norte e o Acyonix pardinensis um guepardo do tamanho de um tigre siberiano que correu pela Eurásia e América. Haviam também outros grupos que aparentemente não chegaram a sobreviver até a época moderna, tal como os ‘Dente de Sabre’ e alguns supostos felinos de características singulares como o Homotherium e o Dinofelis, predadores com patas dianteiras mais altas que as traseiras semelhante ao que ocorre como as hienas.
Criacionistas crêem que Deus colocou em cada espécie animal o pontencial do tipo básico que pode variar para diferentes formas e tamanhos dentro da mesma espécie, subfamília ou as vezes até família. Por outro lado, também cremos que Deus quando criou os primeiros animais, povoou de imediato a Terra com variedades da mesma espécie. O passado fóssil mostra que a vida não evoluiu, pelo contrario, na antiguidade ela era muito mais vasta do que hoje. Haviam muitas formas, inclusive de Felinos que não sobreviveram ao Dilúvio ou aos eventos posteriores como Glaciações e mudança de habitats.
Por que nem todos os tipos de Felinos sobreviveram?
Difícil responder de uma forma única, aparentemente eles pereceram junto com outros animais que caçavam. Os felinos parecem ter se espalhado de forma próspera após o Dilúvio, mas não povoaram nem a Austrália e nem Antártida, que obviamente se separam logo no início do pós Dilúvio. A dispersão dos felinos indica que muitas formas deles estavam presentes entre os felinos originais, no entanto muitas outras podem ter se formado ao longo da história natural destes animais. Percebemos isso porque alguns felinos são muito distintos uns dos outros embora semelhantes de maneira geral , enquanto outros chegam até a cruzar entre si produzindo híbridos férteis.
O Caraval ou Servical é o hibrido do serval com o caracal, o exótico puma animal que até hoje confunde os zoólogos na hora de classificar, já foi cruzado por criadores com um leopardo Asiático e produziu o Pumpard. Gatos domésticos podem ser facilmente combinados com felinos selvagens semelhantes como o Savanah, mistura do gato doméstico com serval ou a Ashera que mistura gato doméstico, gato selvagem africano e leopardo. As combinações são tão diferentes e surpreendentes que o resultado nos leva a conclusão de que o tipo felino criado por Deus foi um tipo básico, mas não único, já no momento da criação deveriam haver variedades capazes em certas circunstancias de se combinarem dado o fato de usarem o mesmo projeto. Isto explicaria porque surgiram variedades estranhas de felinos e outros animais que não chegaram a proliferar por muito tempo, talvez por não serem um resultado primordialmente desejado por Aquele que os desenhou.
Para explicar cito o exemplo do ligre ou tigon, ou seja, o hibrido entre tigre e leoa. Tigres e leões são tão parecidos que tirando as listras e a juba, pouca diferença resta, porém são incrivelmente diferentes em hábitos sociais. O hibrido destes animais, muitas vezes é estéril, outras vezes não desenvolve um animal fértil cor de leão, mas levemente rajado como o tigre que ganha formas gigantes chegando a 3,5 e 4m de comprinto. Este cruzamento nunca ocorre no meio natural uma vez que tigres e leões além dos hábitos diferentes não compartilham os mesmos habitats. Mas não foi sempre assim no passado, eles já estiveram juntos no Oriente Médio, Índia e outros lugares, curiosamente o passado registrou os fósseis e indícios de um outro animal com características muito semelhantes ao ligre.
As pinturas nas cavernas dos antigos caçadores mostram a figura de um grande leão com listras de tigre, tufo de pêlo na cauda e certa juba ao pescoço, seus fósseis o identificam como sendo o que hoje chamamos de Leão das Cavernas (Panthera Leo Spelaea). Este animal, assim como o ligri atingia 3,5m e vivia na Europa e norte da Ásia. Pergunto-me se talvez tigres e leões que começaram a dispersar-se da região do Ararat e colonizar a Eurásia não cruzaram entre si e originaram o Leao das Cavernas?
Não podemos saber! Mas se isto ocorreu com tigres e leões pode ter ocorrido com muitos outros animais e explicaria a grande variedade de animais da mega fauna que durante algum tempo proliferaram, mas não resistiram de forma permanente. Um animal para sobreviver tem que ser o mais adequado para aquele local encontrando comida e pouca concorrência. Leões já estiveram na América do Norte, mas não resistiram por muito tempo naquele habitat.
Logo que os primeiros celeiros foram organizados os ratos vieram avizinhar com o homem e foi assim que os felinos entraram para nossas famílias. No oriente médio os gatos já estavam lá e pinturas do Egito antigo chegaram a divinizar os gatos, na verdade uma das raças mais antigas donde acreditamos ter vindo o gato doméstico é do Egito, os Egyptian Mau (foto ao lado).
Uma vez que os pequenos gatos foram muito úteis para manter o equilíbrio e o controle do ‘ecossistema agrícola humano’, podemos compreender que os grandes gatos também foram criados por Deus para manter a vida e o equilíbrio entre os animais maiores no meio selvagem. A morte não é o ideal, mas ter super predadores é um método alternativo eficiente no novo arranjo de um mundo que está bem distante do ideal que Deus criou, suscetível ao desequilíbrio e a falha.

Dentes e Garras para despedaçar:

Os pequenos e grandes gatos só comem carne, e nada mais! São predadores do topo da cadeia alimentar, seu organismo, dentes e garras tem o desenho ideal para cortar e despedaçar. Mas foi sempre assim?
A Bíblia insiste que Deus criou o mundo bom e sem morte antes que viesse o pecado. Também insiste que no final carnívoros e herbívoros, presa e predador vão pastar lado a lado na Nova Terra. É isto possível para super predadores como os Felinos?
Veterinários sem qualquer princípio Criacionista e nem vegetarianos concordam que é possível e saudável para animais como cães e gatos manterem uma dieta vegetariana[1], há um gato (na Inglaterra) que se recusa a comer carne e vive de vegetais[2], entre felinos selvagens criados em cativeiro já foi observado o caso de uma leoa que cresceu e por toda sua vida recusou-se a comer carne ingerindo apenas vegetais e derivados de macarrão dado por seus tratadores[3], todavia isto é muito difícil na natureza pois as opções não cárneas digeríveis por felinos são muito poucas o que evidentemente os torna irremediáveis caçadores.
A Bíblia diz que a Terra foi amaldiçoada pelo pecado e que o alimento se tornou mais difícil de se obter, portanto numa terra amaldiçoada os animais terão que buscar outras fontes de alimento. Pense num urso panda, seus dentes são de carnívoro, suas garras também, mas ele os usa habilmente para comer bambu, apenas isso e nada mais. Se o bambu desaparecesse ele teria que comer outra coisa ou morreria!
Será tão difícil imaginar num mundo criado por Deus, onde tudo é perfeito e não há fome? Será difícil imaginar em tal lugar, leões, leopardos e gatos comendo vegetais?
Um vídeo do Nat Geo apresenta um drama que contraria o instinto natural dos felinos[4]. Felinos matam sem piedade, ainda mais se for um filhote que é considerado uma presa fácil e muitas vezes a preferida dos grandes gatos, todavia neste vídeo uma fêmea de leopardo ao caçar um babuíno percebe que um filhote órfão ficou indefeso, então ela adota o filhote de babuíno e o protege do ataque de hienas, chegando mais tarde a desenvolver laços de carinho com aquilo que deveria ser sua caça. Tal exemplo não é único, Kanuniak uma leoa do Quênia chegou adotar 5 filhotes de antílopes no meio selvagem em apenas um ano[5] e uma tigresa do zoológico de Bangcoc adotou seis porquinhos[6] e os amamentou.
Um animal irracional negaria seu instinto natural de matar e comer? Negaria uma necessidade básica, um hábito herdado e aprendido, para escolher ter piedade ou empatia por um ser de espécie diferente? Que valor isto tem para a teoria da evolução? Não seriam ecos de um mundo anterior ao pecado ou anúncios da ordem que até a natureza anseia?
Os dentes dos felinos são poderosas mandíbulas capazes de perfurar, agarrar, arrancar e no caso dos tigres, de quebrar o pescoço de suas vítimas. Os felinos com presas mais famosas foram os ‘dente de sabre’. Seus caninos tinham um formato diferente dos dentes dos felinos de hoje, enquanto estes são cônicos as presas dos dente de sabre eram lisas em formato de espadas curvas.
Existiram outros animais com dentes de sabre que nem se quer eram felinos, tais como tilacominus que era um marsupial dente de sabre. Na verdade ter ‘dentes de sabre’ não foi uma característica única dos felinos e desapareceu de forma geral e permanente por motivos ainda duvidosos.
As garras assassinas destes animais são uma estranha obra prima do design inteligente, tal como um canivete que guarda sua lâmina, o felino esconde sua garra retrátil dentro de uma pata acolchoada para seu andar. Garras que servem para agarrar também poderia ter sido desenhadas para escalar e de fato, a maioria dos felinos tem momentos arborícolas ou escala penhascos.
Porém, nem tudo é igual no mundo dos felinos, o estranho Gato Malaio tem garras parcialmente retrateis e no caso do Guepardo, feito para correr, as garras são unhas mais semelhante a dos cães usada para tração nos momentos de velocidade.
Enquanto a cauda do guepardo serve de leme nas corridas, a do leopardo serve de contrapeso no alto das árvores e a do leão para comunicação. O serval tem uma cauda pela metade, pouco peso para um saltador que apanha pássaros em pleno vôo e o lince apenas um pedacinho dela. Terá isto algum propósito ou é apenas a afirmação genética de uma característica tal como ocorre nas raças de gato doméstico cymrics de cauda curta como ou o scottish fold de orelhas caídas.
Entre os gatos domésticos criados e selecionados artificialmente se produziram raças notáveis por seus longos pêlos tais como os angorás, persas, sagrado da Birmânia e do Himalaia. Já outras por seu pêlo muito curto quase como a pele assim como o gato devon rex, ou o gato de pernas curtas e corpo longo, o munchkim e ainda os famosos olhos coloridos do siamês.
Os felinos selvagens mudam suas cores, mas não mudam suas manchas. Enquanto os guepardos têm manchas como pingos de tinta, onças têm manchas na forma de rosetas com pingos e leopardos manchas mais disformes. As listras de um tigre são únicas tais como nossas impressões digitais e muitos outros felinos como jaguatiricas, ocelotes, servais e linces misturam manchas e listras.
Quando um jaguar ou onça pintada sofre em sua genética o fenômeno do melanismo, as manchas escuras se tornam seu padrão produzindo mesmo numa ninhada de onças pintadas uma onça preta ou no caso dos leopardos, uma pantera negra, comum nas selvas da Índia. Isto ocorre também com o serval, já no caso do tigre e raramente do leão, o que pode acontecer é um gene recessivo dar origem a um animal de olhos azuis, nariz rozado e pêlo todo branco. Quanto aos leões, a juba que lhes serve de proteção já que o pescoço seria um ponto fraco, é castanho amarelada na juventude e vai escurecendo a medida que os anos passam.
Maravilhoso é o pêlo com manchas irregulares do mais raro dos felinos, a Pantera Nebulosa do sudeste da Ásia e o pêlo lanudo do mais belo de todos os gatos; o Leopardo das Neves que vivem no alto da cordilheira do Himalaia com cores que se confundem com as rochas e a neve. Nas Américas, o lindo Puma habita desde selvas, montanhas geladas a desertos secos e em cada um destes locais seu pêlo varia de curto a longo. Estudos dizem que o felino Americano mais próximo do puma é o jaguarundi que tem o pêlo claro na base e escuro na ponta, o que lhe dá o apelido de gato mourisco. Este felino tem o corpo longo e a cauda em forma de fuso, que combina com uma pequena cabeça e pequenas orelhas talvez uma facilidade para correr por matas densas. Já o lince quando no inverno nevado do hemisfério norte, recebe longos tufos de pêlo nas patas para melhor andar na neve, enquanto o lince caracal está completamente adaptado a climas secos com pouca água. Selva, montanha ou savana, quando querem os felinos se tornam invisíveis!
Felinos são incríveis, os gatos quase sempre caem em pé, um tigre pode nadar até 5km e arrastar por terra um animal de 900kg. O pequeno serval pode alcançar saltos de 1,80 de altura. Guepardos correm a 110km/h, leopardos são quase invisíveis e inaudíveis ao caçarem e depois escalam grandes árvores para lá no alto esconder pesadas carcaças, por fim os leões são capazes de comer até 30kg de carne numa única refeição e dizem que seu rugido chega a 8-9km de distância.
Os gatos possuem 30 músculos nas orelhas que lhes permite movimentar as orelhas e ajudar na identificação sonora, gatos tem o órgão de Jacobson no céu da boca e um olfato com 19 milhões de células receptoras contra 5 milhões nos humanos. Gatos têm pupilas reguláveis ao nível de luz e olhos equipados com visão noturna que ampliam o mínimo raio luminoso. Seus pêlos sensoriais especiais (bigodes) lhes auxiliam a determinar o espaço, posição e tato[7].
A maioria dos felinos é solitária como o tigre, o puma, a onça, o leopardo e o lince que até foge do homem, mas o leão vive em famílias de um macho dominante e muitas fêmeas com seus filhotes. A vida do leão se resume em lutar!
Luta com a caça, luta com outros predadores pela caça e luta com outros leões pelo bando. As leoas são as caçadoras por serem mais leves e rápidas, mas os leões são os lutadores e protetores por serem mais grandes e pesados.
Quando o leão chega à juventude é expulso do bando e passa um período vagando sozinho ou em dupla com outro macho até que possa desafiar o leão velho de outro bando e tomar posse de seu reino, família e território. Quando um usurpador chega a primeira coisa que fará é matar todos os filhotes machos do bando para impor sua dominância e ter seus próprios filhotes. Às vezes ocorre de um filhote que vagava por anos, voltar e destronar o usurpador que matou seu pai e assim ele liberta sua mãe, irmãs e tias para novamente reinar.
Curiosamente a Bíblia relata o leão como um símbolo tanto para Satanás (I Pe. 5:8), quanto para Jesus (Ap.5:5). A ilustração é própria, Satanás é um usurpador deste mundo e tem matado alguns dos filhos de Deus, mas o leão da tribo de Judá não perdeu suas garras, Ele já venceu na cruz e agora expulsará o usurpador do reino!

Por Pr. Ericson Danese
[1] http://www.greepet.vet.br/dieta.php , Dr. Walter de Albuquerque Araújo Médico Veterinário
[2] http://oglobo.globo.com/blogs/moreira/posts/2009/04/13/voce-ja-ouviu-falar-em-gato-vegetariano-176783.asp
[3] http://considereapossibilidade.wordpress.com/2009/08/13/lea-a-leoa-que-come-espaguete/
[4] http://mais.uol.com.br/view/e8h4xmy8lnu8/o-leopardo-e-o-filhote-de-babuino-04023772E4912326?types=A&
[5] http://noticias.uol.com.br/ultnot/bichos/ultnot/reuters/ult297u100.jhtm
[6] http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2007/12/071203_tigreporcos_mp.shtml
[7] http://revistagalileu.globo.com/Revista/Galileu/0,,EDR84040-7943,00.html

Um comentário:

Dolores Rocha disse...

Bom dia!
Sou Dolores a presidente do Grupo Leoas e Leões da Tribo de JUDÁ...MEU PAI PEDIU PARA TE DIZER ALGO..QUE ESTAMOS CONSTRUINDO A NOVA ERA E TE AGRADEÇO POR AMAR TANTO A ELE ATE MESMO NOS DIAS PIORES DA TUA PROVA.
Desci as águas,e quando me batizei so me lembro que me perguntaram CRE QUE JESUS É TEU SALVADOR..EU DISSE CREIO QUE ELE É MEU PAI E MEU SENHOR..E MINHA VIDA DEI EM SUAS MÃOS.
lEOA DOLORES ROCHA
Eng.ambiental
CREA RS 178517