terça-feira, 13 de abril de 2010

CAMINHANDO COM JESUS - 6

As Primeiras Polêmicas do Homem mais famoso da história

Depois do casamento de Caná e seu primeiro milagre, Jesus e seus primeiros discípulos retornam para a Judéia e rumam a Jerusalém para celebrarem a Páscoa. Nesta ocasião, Jesus é surpreendido com o comércio e exploração dos cambistas do Templo e ocorre pela 1ª vez a purificação do Templo onde ele expulsa os vendilhões.
Nesta primeira Páscoa relatada no ministério de Jesus, ele chamou tanto a atenção das autoridades judaicas que logo se tornou famoso como mestre e foi procurado por um eminente membro da liderança judaica. Nicodemos (S. Jo.3), um dos principais Fariseus encontrou-se em oculto com Jesus, curioso, mas temeroso da opinião pública teve uma conversa com o mestre Galileu a noite, quando ninguém o soubesse. Nicodemos parecia convencido da autoridade de Jesus, mas não de sua identidade Messiânica. Ao longo do diálogo, Jesus trata sobre o novo nascimento, o batismo, uma nova perspectiva de vida e principalmente; Jesus dá um sinal a Nicodemos (S. Jo.3:14), quando vissem o Filho do Homem (Jesus) levantado assim como Moisés levantou a serpente no deserto, então os que cressem nele teriam a vida eterna.
O interessante sobre a conversa com Nicodemos, foi que este Fariseu não se tornou um imediato seguidor de Jesus, a verdade ficou no coração dele ao longo dos próximos três anos, mas a Providência o manteve no tempo e no lugar certo onde Nicodemos faria diferença para ajudar o ministério de Jesus, (ver S. Jo.7:45-53). Apenas após a morte de Jesus, Nicodemos se tornará seu seguidor aberto.
Nicodemos é conhecido na tradição judaica como um homem piedoso e generoso que ajudou os peregrinos judeus nas festas religiosas, também é Nicodemos com José de Arimatéia que honrou o corpo do Mestre e foi Nicodemos quem se desfez de sua fortuna para patrocinar os primórdios da pregação dos apóstolos.
Depois da 1ª Páscoa e do encontro com Nicodemos, Jesus pregou nos arredores da Judéia e fez alguns batismos com seus discípulos, quando então o ministério de Jesus começa a se projetar paralelamente ao de João Batista que testemunha favoravelmente em prol de Jesus com a famosa frase ‘convém que ele cresça e que eu diminua’.
Saindo da Judéia ele e os discípulos retornam para a Galiléia, quando no caminho passam por Samaria e Jesus tem o encontro com a mulher Samaritana no poço de Jacó. Para esta mulher que vivia desesperançada no pecado e rejeitada pela sociedade, Jesus revelasse claramente como Messias (S. Jo.4:25-26). Esta é a primeira vez que Jesus ensina aos discípulos não serem preconceituosos, demonstrando que o poder do evangelho é capaz de redimir a todos, mesmo aqueles que eles consideravam mais perdidos.
A mulher volta à cidade Samaritana e testemunha há alguns dos seus habitantes que vão ao encontro de Jesus e crêem nele. Jesus fica ali dois dias pregando e ensinando entre os Samaritanos. Chegando a Cafarnaum, Jesus cura o filho do oficial de Cafarnaum (S. Jo. 4:46-54), fato que o deixa famoso e popular na cidade, mas Jesus e os discípulos retornam a Jerusalém para a festa de S. Jo.5, onde cura o paralítico do tanque de Betesda e gera grande polemica quanto a sua autoridade de curar no sábado. No mesmo dia, mais tarde no Templo, Jesus, o curado e os judeus se encontram e ocorre o primeiro grande debate entre Jesus e as autoridades religiosas dos seus dias.
Nesta ocasião Jesus defende sua identidade Messiânica e autoridade ao argumentar que as Escrituras testificavam dele (S. Jo. 5:39). Esta foi a primeira grande discórdia entre Jesus e os líderes judeus que já o intentavam matá-lo (S. Jo. 5:18). O clima está muito tenso na Judéia em virtude desse desgaste público entre Jesus e os líderes judeus, pouco depois disso João Batista também foi preso por Herodes e as circunstâncias pedem que Jesus mude de lugar e estratégia para que seu ministério não termine antes do tempo.
Novamente, ele e seus amigos retornam para a Galiléia, um tanto frustrados porque Jesus não declarou-se rei e por ter aparentemente abandonado João Batista, os primeiros discípulos retornam a suas atividades cotidianas em Cafarnaum, enquanto Jesus retorna a sua cidade de origem, onde mora sua família e conhecidos, Nazaré.
Ao chegar em Nazaré sua fama já o precedia e os locais já sabia da antipatia das autoridades de Jerusalém para com ele, porém o povo deveria estar no mínimo curioso para saber porque o filho do carpinteiro local tinha se tornado uma figura pública na capital. Por certo almejavam ver dele algum grande milagre ou sinal dos quais tinham ouvido falar que ele fazia.
Quando tiveram a oportunidade de encontrá-lo na reunião pública de sábado na Sinagoga, foi lhe dado a oportunidade de ler e comentar as Escrituras, ao que Jesus aplicou um texto Messiânico do livro de Isaías a si mesmo. Mas quando os Nazarenos exultaram com a idéia de que Jesus os lideraria numa revolta e libertação dos Romanos, Jesus desvendou suas intenções egoístas, sua falta de fé e seu preconceito.
Ao serem repreendidos, os Nazarenos sentiram-se tão ofendidos que fizeram o ato mais extremo de rejeição a um judeu, expulsaram Jesus da sinagoga e da própria cidade, na verdade intentavam matá-lo jogando-o de cima de um monte, mas Jesus passando entre eles livrou-se e deixou Nazaré para nunca mais morar naquele lugar.
No próximo capítulo de 'Caminhando com Jesus', o Mestre muda-se para Cafarnaum e elege seus 12 discípulos mais achegados e o ministério de Jesus ganha popularidade.
por
Pr. Ericson Danese

Nenhum comentário: