sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

As cidades de Ninrod

O princípio do seu reino foi Babel, Ereque, Acade e Calné
Gn. 10:10

Conforme os arqueólogos, os primeiros registros religiosos da Mesopotâmia são do culto a An (Anu o céu). Com o passar dos séculos mais de cinco mil deuses chegaram a ser adorados, demonstrando que as origens humanas migraram do monoteísmo ao politeísmo. Nestas cidades primordiais, uma divindade local era considerada patrona e protetora. Seu ídolo era vestido e alimentando pelos sacerdotes.
Alguns desses ídolos eram interpretações do Criador, outros eram representações de ancestrais. Muitas dessas cidades podem ter recebido nomes em referencia a eles, como a cidade de Kish, que talvez homenageie o bisneto de Noé e pai de Ninrod (Gn. 10:8).
Outras aludiam a cidades dos tempos anteriores ao dilúvio. Eridú na lista dos reis sumérios é a primeira das cidades, onde reinou Adapa, filho humano do deus Enki. Alguns apontam que Eridu seria uma referencia a ‘Éden’, ou a cidade ‘Enoque’ de Gn. 4:17, construída por Cain.
Cada vez que uma cidade dominava a outra, aspectos religiosos locais eram intercambiados aumentando a pluralidade dos deuses. As batalhas surgiram, Lagash envolveu-se numa guerra com uma cidade vizinha pelo controle da água, coisa comum naqueles tempos, (Gn. 26:20-21). Em Lagash o patrono era Nim Girsu um deus da fertilidade e das cheias, mas mais tarde os Babilônios o caracterizaram como Ninurta, um deus guerreiro. Outras cidades desenvolveram suas divindades patronas a partir de ciclos astrológicos que auxiliavam no controle da agricultura local tal como Larsa que adorava Utu o Sol e Ur que adorava o deus Lua.
Cada cidade era administrada por um soberano civil e religioso chamado Patesi, ele era o construtor, juiz, administrador e principal representante dos deuses. Normalmente sacerdotes e a realeza estavam envolvidos por laços familiares. Tendo cidades próximas umas das outras, necessidade de liderança unificada, insegurança e laços religiosos comuns, faltava apenas surgir a personalidade popular de um líder capaz de unificar um grande reino!
Foi assim que surgiu Ninrod, um caçador popular, famoso por suas aventuras e com muito talento de liderança. Ele deve ter percebido que a religião era um elemento controlador da população. Conhecendo as cidades daquela época, acharemos a pista desta personalidade:
Babel (Babilônia) no hebraico significa ‘porta de Deus’, a tradição Babilônica diz que foi fundada pelo deus Marduque e foi destruída pelos Acadianos para construir uma nova capital. Certamente o mito de Marduque, celebrado pelos babilônios posteriores aos sumérios é uma versão divinizada da própria história de Ninrod. Seus sucessores precisaram conservar o poder após a queda de Ninrod e devem ter idealizado a história, dando sua própria versão para transformar o fracasso do império de Ninrod em drama religioso que motivava através da fé religiosa.
Ereque (Uruk) era a segunda cidade de Ninrode na margem esquerda do Eufrates, onde foram encontrados dois zigurates. Ereque ou Uruk era a cidade natal do mítico Gilgamesh, certamente um mito inspirado no Ninrod. Suas esculturas o mostram como um valente caçador assim como Ninrod. Seu mito diz que ele se torna o melhor amigo de um selvagem chamado Enkidu e com ajuda dele abatem feras míticas, sendo uma delas uma espécie de leão que guarda a floresta dos cedros e a outra, um touro enviado dos céus.
Acade se tornou Agade, onde surgiu o império Acadiano e Calné é uma cidade ainda não bem identificada, cuja alguns a relacionam com a famosa  Nippur, sig. ‘lugar de passagem’, segundo a mitologia seria este o lugar de residência do deus Enlil quando este foi expulso do jardim da morada dos deuses, tornando esta cidade o maior centro de sua adoração.
Sendo ele Camita, talvez tenha tido uma esposa Semita, na verdade não sabemos, mas parece ter sido muito influente entre os proto assírios e acadianos. Seu reino cresceu e ele tomou conta do sul da Assíria, naquela época as primeiras tribos Assírias habitavam Assur, fundada com o nome de seu ancestral, enquanto Ninrode, identificado com Nino o fundador de Níneve, iniciou cidades como Reobote-Ir, Calá que atualmente é chamada de Ninrude e Resén.
Não é difícil compreender que um personagem real está por trás de todos estes mitos. Talvez Ninrode tenha sido um patesi, um rei guerreiro e caçador que em sua ambição entendeu que a religião e a força ofereciam poder. Ninrode significa ‘rebelde’ e talvez seja apenas o apelido deste homem que construiu a primeira ditadura da história promovendo um governo paralelo aos princípios de Deus.
por Pr. Ericson Danese

*Para fontes ver a postagem anterior.

Nenhum comentário: