domingo, 29 de janeiro de 2012

Quem se importa com os Acadianos?

“Disse-lhe mais: Eu sou o Senhor, que te tirei de Ur dos caldeus, para te dar esta terra em herança.”
Gn. 15:7

A Bíblia apenas menciona em Gn. 10:10 o nome da cidade a qual acreditamos que eles tiveram origem. Acade (sig. Fortaleza), fundada ou dominada por Ninrod, chamada também de Agade, que denominou o império Acadiano, conhecido como primeiro império do mundo, estendendo-se do Golfo Pérsico a costa da Palestina. Na verdade, a maior parte do que sabemos sobre eles vem de estatuetas e inscrições cuneiformes da época do primeiro império Babilônio. Essas cópias feitas por escribas Babilônios apresentam tabletes de reis Acadianos que viveram séculos antes.
Os motivos das inscrições eram muitos, mas foram os Acadianos os primeiros a usar as stelas e murais de vitória para propaganda política, influenciando o povo e contando os fatos como lhes convinha.
Em muitas destas inscrições o rei era apresentado como o escolhido dos deuses, eleito para ser o soberano, para defender os marcos de suas cidades e promover os altares dos deuses, do qual ele era o mediador entre eles e os homens. As terras eram consideradas dos deuses e se pagavam contribuições aos sacerdotes pelo uso delas. Estar no controle da fé era um bom negócio e os soberanos acadianos não abriam mão disso.
O rei é apresentando como vitorioso esmagando os inimigos dos deuses, a estela de Naran Sin o apresenta como um vitorioso que pisa e transpassa seus inimigos e usa uma coroa com cornos, símbolo visto em muitos deuses sumérios e acadianos.
O exército Acadiano era mais versátil que o exército sumério convencional. Os acadianos distribuíam sua tropa com armas inovadoras, mais leves e letais como lanças e machados, no entanto seriam os arqueiros que fariam a diferença ofensiva na recém inventada ‘artilharia’. A motivação do soldado era ganhar um pedaço das terras conquistadas.
Quando dominavam uma cidade, os Acadianos infiltravam um regente local filiado ao soberano e dominavam a religião, absorvendo e respeitando tanto quanto possível os mitos locais. Pouco se vê a diferença entre a religião acadiana e os sumérios. Você pode se perguntar ‘quem se importa com os Acadianos?’, mas os Acadianos não só inventaram o império, mas inventaram a união de estado e religião! Assunto muito relevante ainda hoje!
Seu império foi fundado pelo famoso Sargão de Agade(Acade), cuja auto biografia cuneiforme lhe dá origens que lembram Moisés e os heróis clássicos. Sua trajetória lembra muito a história de Ninrod. Sendo ele posterior ao período de Babel, já que o Acadiano era uma língua diferente do Sumério, é provável que Sargão tenha sido um líder semita que reuniu exércitos e inspirado pelas histórias de Ninrod dominou as outras cidades.
Um bom exemplo de sua habilidade em formar um estado religioso é sua filha Enheduana a famosa princesa sacerdotisa de Ur dos Caldeus, autora de 42 hinos à deusa Inana. Os Acadianos chegaram ao seu apogeu com o neto de Sargão, Naran Sin e depois disto decaíram com as invasões dos Gutias que abriram espaço para o renascimento sumério liderado pela cidade de Ur.
Os acadianos se desfizeram rapidamente, mas sua influencia na maneira de governar estado e religião permaneceu entre os sumérios, não é a toa que neste ambiente totalitário de paganismo, onde as terras eram dos deuses (ídolos) e as cidades eram dedicadas aos templos pagãos, o Deus vivo tenha achado melhor tirar Abraão de certa cidade adoradora da Lua, chamada Ur dos Caldeus!

por Pr. Ericson Danese

Fontes:
Ver sequência de postagens.

Nenhum comentário: